03/05/2011

No começo não foi fácil!

Em comemoração ao dia das mães, vou essa semana, fazer posts apenas sobre a minha mais nova condição. A de mãe. E todos os sentimentos q vem junto com ela!

No dia em q cheguei da maternidade, minha mãe pôde ficar aqui comigo, então foi fácil. Consegui chegar em casa, almocei, tomei banho, até postei no blog. Nossa, eu pensava, nem é assim tão dificil, visto q a Anna chegou dormindo e permaneceu assim durante hoooooras! E com a ajuda da minha mãe então, fácil! (eu achei!)
Mas minha mãe só ia ficar comigo naquele dia, pq depois ela teria q seguir a vida dela, trabalhando e vindo aqui apenas para visitar a Anna. (mas ainda hj ela me ajuda muuuuuito sempre q eu peço!)
Bom, a noite chegou e minha mãe foi pra casa dela seguir a vida e eu fiquei. Eu, marido e a nova "membra" da familia. Ambos estavam em êxtase, porem, assustadíssimos. "Meu Deus, e agora? Somos só nos três de verdade!"
A essa altura a Anna ja estava acordada e ja estava chorando. 
No hospital, ela chorava, sempre tinham as enfermeiras pra dar aquele help, e em casa? Era só a gente e ponto final.
A primeira madrugada foi longa, dificil, chata. Sim chata pq eu estava com um bebe q chorava e mesmo estando sem fome, com a fralda limpa e tudo mais, chorava e eu não sabia mais o q fazer. E pra ajudar naquela madrugada, uma barata apareceu pro nosso desespero geral. (eu e marido temos PANICO de barata!). Me lembro q naquela madrugada eu chorei pela primeira vez, sozinha, com a Anna no colo. Chorei no escuro para q o Airton não visse. Chorei durante hooooras, com medo, sem saber o q fazer. Assustada mesmo. Mas eu não podia demonstrar esse medo todo, afinal, eu tinha q ser a parte forte agora...mãe sempre é corajosa, sem medo e feliz! E eu não era nada disso naquele momento!
Fiquei horas tentando entender o choro dela e não sabia desvendar e entrei em desespero. (eu sei q poxa, era nossa primeira noite e eu não tinha mesmo como saber tudo! Nem hj eu ainda sei!)
No dia seguinte, q pra mim foi tudo emendado, visto q eu varei a madrugada toda sem dormir, as coisas pioraram! Eu me vi sozinha! Airton saiu pra trabalhar, e nós ficamos. Daí sim o medo tomou conta de verdade.
Então a minha sogra apareceu e mais uma vez fez almoço e eu consegui dormir um pouco!
Mas ela foi embora logo após o almoço. E daí começou toda essa história.

Eu só fazia chorar.
Me sentia triste, desanimada, desmotivada. Como assim? Não era pra eu estar feliz?
Eu tava feliz, mas confusa. Confusa. Confusa.
E se eu tivesse com depressão pós parto? Pronto, daí sim me desesperei. Só queria chorar e dormir. Como eu não conseguia dormir pq ela tb não dormia, eu chorava. E toda vez q o marido vinha em casa (sim eu tenho PUTA sorte dele trabalhar aqui pertinho de casa, e como ele é o patrão dele mesmo, ele pode sair sempre q dá!) eu chorava, fazendo com q ele se preocupasse tb!
Essa história ninguem sabe!
Minha casa estava um horror. Suja, bagunçada, roupa de semanas pra lavar, louça na pia, eu sem tomar banho, sem tirar a camisola, despenteada, com olheiras e triste. "Poxa, isso é ser mãe?" Eu vivia me perguntando isso!
Olhava pra Anna e pedia perdão a ela. Olhava pro Airton e pedia perdão a ele.
Pedia perdão pq ele não almoçava mais há dias direito, comia só pão com queijo e presunto, não tinha roupa limpa pra usar e usou durante uma semana toda a mesma roupa sem falar nada, sem reclamar. Era ele q lavava a louça enquanto eu só sabia reclamar e chorar. Brigamos inumeras vezes, ele chorou dizendo q queria a esposa dele de volta, ameaçou ir embora. Eu só falava pra ele ir mesmo, arrumar outra e ser feliz. Isso tudo com uma filha recem nascida em casa. O caos se implantou em casa e pra todo mundo eu fingia q tudo estava perfeitamente se encaixando. Não tava.
As madrugadas seguiam, e a Anna tadinha, não dormia. Chorava e eu nunca sabia o q fazer. As cólicas começaram qdo ela tinha 15 dias, pra piorar ainda mais a situação.
De dia ela dormia o dia todo, mas quem não conseguia dormir era eu. Não conseguia relaxar nunca. Não comia direito, não ia ao banheiro, e sentia um troço pra lá de estranho dentro de mim. Uma tristeza misturada com angustia q só aumentava qdo eu amamentava. Era a Anna ir pro peito, q eu chorava! Doía fisicamente e mais q isso, essa angustia era desesperadora!
Foram dias e noites dificilimas.
Eramos nós e só. E mais q isso, eu tinha q dar conta de tudo sozinha....sério, eu achei q eu ia pirar, enlouquecer, e achava q ia cair numa deprê daquelas!

Não devia né!
Mas aí as coisas foram se ajeitando. Como tudo na vida se ajeita né. Tem q se ajeitar.
Eu lendo um blog uma vez, descobri q pelas estatísticas, 80% das mulheres sofrem com um troço q se chama "baby blues", logo após o parto. É uma mini depressão, q se instala nos primeiros dias e some sozinha, vai embora!
E eu contestei essa estatistica. Eu acho q TODAS as mulheres sentem isso, pq é uma mudança enorme, não tem como passar batido assim não! Posso estar redondamente enganada! Tomara q eu esteja. No mais, eu tive isso. 
E tive do nada e assim do nada tbm,  isso foi embora! Sozinho!
Passei dias sozinha com a Anna, olhando pra ela, tentando fazer ela dormir, chorando (as duas), sem nos conhecer, sem termos a menor intimidade uma com a outra. Eu não sabia dar banho nela, não sabia trocar a fralda direito, mas tive q aprender na marra. Pq ou eu dava banho nela, ou ela ficava sem tomar banho!
Minha mãe e minha sogra se ofereciam TODO dia pra ajudar, assim como fazem até hj. Mas eu não queria. Quero tentar me virar sozinha sempre. Quero errar (como errei VARIAS vezes!) pra poder aprender e daí acertar!
Todo dia, ainda hj, qdo faço qlq coisa com a Anna, ainda erro muito. MUITO.
Choro a cada erro, mas aprendi q errar faz parte da maternidade.
E ainda vamos errar muito. Mas vamos acertar muito tb!
Até hj, inumeras vezes, ainda não sei pq a Anna chora. Mas hj ajo diferente.
Não me desespero, não choro junto e por varias vezes a deixo chorando por alguns minutos, pq eu sei q é manha pura. E ela pára de chorar sozinha! Antes, ela "miava" eu a pegava no colo e dava o peito! Errei demais fazendo isso! Mas aprendi! Hj a deixo chorar sim! Morro de dó, mas desde já ela tem q aprender o q é receber um NÃO! (ela vai receber varios nãos na vida!)




O peso da responsabilidade de ser mãe é grande demais!
É tudo delicioso sim, como todo mundo relata, mas a gente tb chora, tb se sente sozinha, triste e tudo isso, pq tudo q é novo, assusta e só o tempo, a prática e tudo isso é q vai fazer as coisas entrarem nos eixos.



E pras coisas entrarem nos eixos, varia de pessoa pra pessoa.

Essa pequena depressão passou em 15/20 dias. Hoje eu estou entrosada com a Anna Laura, temos intimidade e cumplicidade. Assim como uma nova relação.
No começo de qlq relação é assim, ng tem nada disso no primeiro dia de namoro, por exemplo. Isso vem com o tempo. Com um filho é a mesma coisa.
Por mais q ele tenha habitado em vc durante 40 semanas, vcs ainda não tem intimidade, não se conhecem. Isso é a mais pura verdade. E só o tempo vai fazer com q essa intimidade aconteça. E ela chega, sem sombra de dúvidas!


De vez em qdo ainda eu me sinto sozinha. Mas é pq eu fico mesmo sozinha só com a Anna o dia todo. Mas hj é diferente pq eu converso com ela, bato papo mesmo e melhor de tudo é q ele corresponde, sorri, dá gritinhos!
Hoje tenho tempo pra fazer o q eu quiser, basta administrar meu tempo.
Tenho tempo de tomar banho, de comer sentadinha, de limpar a casa, lavar a roupa, postar no blog, entrar no FB, tudo! Basta eu saber a hora certa pra tudo isso! Mas isso só o tempo mesmo pra me ensinar!
Claro q eu ainda me enrolo as vezes, mas sempre dou um jeitinho  e consigo fazer tudo sozinha!





19 comentários:

Poly disse...

Ai Than, a gente pensa que tudo são flores, mas imagino que deva ser dificil mesmo essa adaptação. Mas tudo na vida a gente aprende, não é mesmo?? Parabéns por ser essa mãezona, que sabe que não é perfeita, é humana!
Bjs

aninha disse...

Oi flor!
Nossa realmente não deve ter Sido facil, assim como ainda não é...
mais ver o seu sonho ai do seu ladinho e agora dando tempo de fazer tudo deve ser maravilhoso não?!
bjO

Ana Paula disse...

Muito legal vc ter falado sobre isto, esta sensação estranha que acomete as mulheres após o parto.
Minha mãe sempre fala isto, que é algo muito esquisito quando vc olha aquela criancinha e não sabe muito bem o que fazer com ela. Ela descreve assim como vc, que deu um negócio muito estranho dentro dela, um sentimento esquisito, mas que passa.

Bjs

disse...

Than, lendo o seu post dá um medo danado de ter filho, mas como vc disse, tudo passa, né?
beijossss

Maitê disse...

Oi Than !!!

É ... nem tudo deve mesmo ser uma maravilha ... E mente quem diz que é ... mas acho que temos uma boa recompensa né ???? rs...

Adorei seu post !

Beijinhos

Lu do Deninho disse...

éeee......nem tudo são flores quando se fala em maternidade, mas sei que é muito compensador, não há alegria maior que ser mãe, e vc provou isso hj em seu relato, basta ter calma e saber levar !

bjuss

Adriana Bandeira disse...

Than
Passei e passo por tudo isso até hoje, com a diferença de ter ficado só desde o começo.
A casa até hoje nunca mais voltou a ser o que era antes, já que o Mi só quer colo (está aqui agora, depois de uma crise de berros). Brigas, desespero, choro, solidão, acho que tenho deprê até hoje! Mas faz parte e o mundo não é todo perfeitinho.
Adorei seu post, me vi nele!
bjs

Casa da Faby disse...

Oi Than!
Não tenho filhos, mas sei que nem tudo são mar de rosas.
Sempre vamos errar e acertar tbm!!!
Afinal é a vida neh, os bebês são lindos, mas dão um trabalhão!!!
Fico feliz por essa deprê ter ido embora!!!
BjO em vc e na Anna!

Juh** disse...

Admiro muito mulheres como vc Than, sabe porque? Porque as mães tem um mania boba de sempre dizer que esta tudo ótimo, que tudo é lindo que o bebê não dá trabalho etc...
E eu sei que não é assim, não tenho filhos, mas trabalhei de baba muitos anos período integral, então eu sei que bebê dá trabalho! É lindo, é uma benção mas da trabalho sim, os primeiros dias são complicadissimos!
Eu trabalhei em uma casa que eu era a "mãe" do bebê sabe? A mulher era uma dondoca que nem amamentava nem nada, eu passava o dia e a noite cuidando da garotinha, e eu que nem pari nem nada sofria e chorava muito para me adaptar, imagina a mãe mesmo!!!
Fico feliz de ler um relato de quem passou por isso, sofreu mas deu a volta por cima.
Ser mãe deve ser isso mesmo rs... um ciclo sem fim de erros e acertos!
Amo a vida de vcs!!
Beijocas em vc e na delicia da Anna!

Fá, Mãe da Ana Luiza e do Gustavo! disse...

Than, adorei seu desabafo... eu me sentia assim na primeira e, pasme, na segunda vez tb!

Ser mãe é phod@, cansativo, aprender a ser mãe é mais ainda. Mas com amor, carinho, paciência, a gente tira tudo isso de letra!

Beijo grande, amada!

• déia musso • disse...

Than,

Enfim tive coragem de ler seu post. Pois é...acho que meio que sei que vou me virar nos 30 depois que o Murilo nascer, e estou adiando pensar no pós parto.

To pensando seriamente em morar com a minha mãe assim, tipo, pra sempre! hauahau

Mas fui lendo e vendo que a poeira foi baixando, e tudo está calmo agora, logo, todas temos que passar por isso e eu sobreviverei! rs

Só tenho muito medo de não ser boa mãe, até chorei ontem por causa disso, marido diz "calma, claro q vai ser boa mãezinha sim, amor.." mas no fundo ele sabe que não é brincadeira um RN em casa, e a gente é marinheiro de primeira viagem né...Mas confio em Deus e no instinto materno, que é o que nos guia não é mesmo amiga?

Mas como você disse, tudo se ajeita!

Adorei o relato amiga, obrigada por compartilhar assim, tão detalhadamente =D

Bezinhos nossos,
Deínha e Lilo ♥

Rose disse...

Than!!!vc fala de tudo que realmente acontece,na nossa entrada no mundo da maternidade,eu em varios momentos seu, revivi vario momento meu,mas nunca consegui coloca-los com tanta clareza com vc,é bom saber que não é só agente que passa por isso e podemos aprender com as experiencias dos outros,e agente não narci sabendo,aprendemos tudo ao poucos, se tiver alguem pra ensina é bom ,mas apredemos mesmo é com os nossos erros e ser mãe não vem em uma cartilha é na rasa mesmo beijoss DEUS ABENÇOE.....

Maísa Amorim Pimenta disse...

Than, parabéns pela mãe que vc é! Ser mãe é realmente muita responsabilidade, só quem é sabe.. =)

Letícia disse...

Ai Than AMEI seu relato.
Sabe, quando leio seus posts respiro aliviada, porque tipo, EU SEI que ser mãe não é fácil. Não, eu ainda não sou mãe, mas eu antevejo esses problemas, e quando a gente só lê sobre as maravilhas da maternidade, bate aquele medo de não poder falhar, de não poder ser humana.
Sei também que é um amor único (não por vivência, mas por antecipação..rs), que depois que a mulher vira mãe ela não consegue mais imaginar a vida sem aquele anjinho lindo, mas como vc mesma disse, é responsabilidade DEMAIS. Ilusão pensar de outra forma.

Enfim, gostei muito do seu relato, do seu desabafo. Me ajuda muito e tenho certeza que a muitas mães e futuras mamães tb!

Beijão nas duas lindonas!

Carol disse...

Sabe Than, eu fui como vc. "Quero tentar me virar sozinha sempre. Quero errar (como errei VARIAS vezes!) pra poder aprender e daí acertar!"
Desde o começo deixei claro que não queria ajuda, eu queria fazer, eu queria errar, eu queria aprender.
A diferença foi que aqui, marido pegou uns dias de folga logo após o nascimento da Lu... Então ele tomou conta sozinho da casa! Eu não sei como teria sido sem ele aqui...
Enfim, tbm chorei muito escondida, com vergonha... me sentindo fracassada, inútil, uma péssima mãe. Achava que aquilo nunca ia mudar, que eu não saberia lidar... Outras vezes, choramos os três juntos. Como medo, inseguros e despreparados..
Mas como vc disse tudo se ajeita.. tudo passa. Com o tempo nos conhecemos melhor e acabamos enfim conseguindo essa tal intimidade. E que intimidade né??? É muito amor! E isso é recompensa!
Acho que todas passamos por isso Than.. E que bom que no final tudo da certo!

Como diz uma amiga minha, somos ótimas mães pq as mães tbm erram!

Beijocas em vcs duas!!

Faça ou Desfaça disse...

Me vi na sua história...

Nada sozinha é fácil ainda mais sabendo que o bebê depende de vc numa hora que tb quer colo.
Vc ainda teve a sorte de ter Ton por perto e ajudá-la, dando apoio, mesmo q lhe pedindo sua volta de mulher.
É barra mesmo e,ainda a gente se acha feia pq está gorda, flácida etc kkk
Mas mesmo assim, esse amor de mãe que brota lentamente é um amor mais puro e completo de todos..

Essa fase passa, deixa lembranças boas e não tão boas... a filha cresce e a saudade desse tempo aumenta...aí, pra quem quer, vem o segundo,.. terceiro filho rsrrs e tudo começa de novo, mas com 1 experiência melhor..

Pena não saber q vc precisava de
"socorro"..teria e tenho maior prazer em ir ajudá-la mesmo q pra dar 1 jeito na casa..pode contar com sua titia mais querida sempre...
Beijocas carinhosérrimas e precisa pensar em escrever seu livro..vc é bárbara.

Merciana Amorim disse...

Oww Than que coisa boa podermos olhar pra trás e ver que tudo realmente é uma fase, vc é uma mãesona viu ?, e poder admitir td isso é de uma coragem admirável a Aninha vai ter mto orgulho de vc sem dúvida, um abraçãoooo e td de bom pra vcs ...

Karina disse...

Than,

Me vi muito nesse post, as vezes até hoje me vejo sozinha também, choro (escondida) e tenho meus momentos depre... mas como hoje é mais facil entender a Duda, e com o tempo tudo melhora...

esse assunto, rende...rs

Bjão

Maari Sala disse...

Adoro essa condição, SER MÃE!
Não tem preço.

P.S.: Sua filhota é linda.

Beeijos!

redirect